ABJKDABJKD
Topo
 

Cynthia Rothrock - A musa das artes marciais em visita ao Brasil

André Araújo
Consultor em Turismo e Jornalista

Nos anos 90, quando o filme “Lady Reporter” protagonizado pela expert nas artes marciais - Cynthia Rothrock, chegou às videolocadoras, o renomado crítico de cinema Rubens Ewald Filho a descreveu como o “Van damme de saias”. A carreira da atriz dona de seis faixas pretas em diferentes disciplinas marciais avançou a passos largos.

Cynthia começou a praticar artes marciais aos 13 anos, aos 18 já competia profissionalmente e em 1983, ela fez um teste (sendo a única mulher) para a empresa de cinema Golden Harvest que na época buscava um novo talento (masculino), entretanto eles ficaram tão impressionados com a performance dela que a contrataram.

Somente 2 anos depois, ela viria a protagonizar seu primeiro filme em Hong Kong, o sucesso imediato alavancou a carreira da atriz/lutadora que fez uma sequência de filmes vivendo na China até o final dos anos 80. A partir daí vieram os filmes rodados na Indonésia, onde ela tem uma legião de fãs, nas Filipinas a título de comparação ela é considerada uma Meryl Streep do gênero.

Nos anos 90, Cynthia Rothrock trabalhou bastante atuando em mais de 15 filmes, dessa vez em solo americano, tendo trabalho com os principais nomes das artes marciais como Jalal Merhi, Bolo Yeung, Vincent Lyn, Jeff Wincott, Sam Jones e Richard Norton com quem fez inúmeros filmes.

Quase todos os filmes da musa da pancadaria vieram para o Brasil e grande parte deles foram exibidos na Globo e Band ao longo da década de 1990/2000, e nas extintas videolocadoras, as fitas vhs faziam sucesso também. Ao todo foram mais de 50 filmes e algumas participações na TV, em séries como Hércules.

De férias no Brasil pela primeira vez, Cynthia escolheu ficar hospedada em Copacabana, nosso bate papo aconteceu em um quiosque tendo a famosa praia como cenário de fundo. Ela confessou que ficou surpresa como o Rio de Janeiro tem a natureza e o meio urbano juntos e não perdeu tempo nos dias no Rio, onde visitou os principais cartões postais da cidade como Corcovado e Pão de Açúcar, além do centro da cidade, forte do leme, Jardim Botânico e outros lugares.

Em termos gastronômicos, ela gostou da comida brasileira tendo ido em uma churrascaria na zona sul e adorou caipirinha. Questionei como ela se sentia sendo a pioneira no gênero, em um meio dominado por atores homens, tendo aberto caminho para que outras atrizes pudessem também atuar em filmes de luta.

Modesta, Cynthia apenas disse que se sente orgulhosa por ter sido a primeira mulher a protagonizar filmes de ação/luta e que não foi fácil romper essa barreira e que ainda é difícil, mas que ao olhar para trás sente orgulho de sua trajetória ao longo de mais de 2 décadas de carreira.

Nos últimos anos, Cynthia tem viajado o mundo inteiro por várias razões, seja através de seminários e conferências sobre artes marciais, como também viagens a lazer, onde ela faz questão de praticar atividades radicais como rapel, escalada, canoagem, mergulho e trekkings.

Sua forma física é invejável, fruto de muita atividade física aliada aos esportes que tem praticado. Perguntei sobre os novos projetos, e a confessou que vai fazer um novo filme, inclusive trouxe o script para o Brasil para ler com calma e planeja também fazer um documentário a respeito da carreira dela.

Em termos de viagens, ela ainda este ano embarca para Itália a trabalho e também Nova Zelândia a lazer, onde fará algumas atividades radicais no país. A estrela das artes marciais, passou despercebida no Rio, talvez por que os brasileiros estejam acostumados ao antigo visual dela quando era loira e usava os cabelos curtos, hoje morena com mechas lilás, está um pouco diferente, até brinquei com ela dizendo que se ela tivesse vindo pra cá com aquele mesmo visual de antes, todos a teriam reconhecido.

E por falar em fama, ela disse que lida bem com isso, mesmo que em alguns países possa acontecer de uma multidão abordá-la pedindo fotos e autógrafos. Cynthia Rothrock esteve em alguns países da África e relatou que na Tanzânia se sentiu muito amada, as pessoas a reconheceram e sempre tinham um sorriso largo, acenavam e diziam palavras gentis a ela, o mesmo ocorreu no Quênia também.

Com mais de 50 filmes no currículo, os mais populares no Brasil foram Lady Dragon, Código de Honra, Força Irresistível, Um trapaceiro Genial (com o saudoso ator Corey Haim), Príncipe do Sol e diversos outros. Além disso, também participou de um episódio da série Hércules e a personagem Sonya Blade do videogame Mortal Combat, foi inspirada nela.

Foi um bate papo muito bacana, e ela o tempo inteiro sorridente, bastante comunicativa falando sobre passado e também sobre os planos para o futuro. Do Rio, ela embarcou para Foz do Iguaçu, para ver as famosas cataratas, sugeri a ela que visitasse também o parque das Aves, e ela logo gostou da ideia.

Em seguida, ela vai para Argentina e Chile, está empolgada para conhecer mais a América do Sul, questionei se ela pretende voltar ao país e ela respondeu com certeza. Quem sabe veremos a rainha dos filmes de ação mais vezes em praias cariocas.