ABJKDABJKD
Topo
 

Uma breve história do Jeet Kune Do no Brasil

Jeet Kune DoA história do Jeet Kune Do se confunde com a história do seu criador, o lendário Bruce Lee. No entanto, é importante distinguir o artista marcial do ator, e essa é uma distinção que muitas pessoas não fazem. Bruce era formado em Filosofia, e um estudioso contumaz das artes marciais. A junção dos seus principais interesses culminou com o surgimento, e posterior evolução, do Caminho do Punho Interceptador, ou Jeet Kune Do. O JKD tem sua origem em três grandes pilares: Wing Chun, Boxe e Esgrima Ocidental. Em cada momento da vida de Bruce Lee é possível encontrar maior preponderância de um dos três pilares. Nos seus anos iniciais nos Estados Unidos da América, o JKD era basicamente uma versão ligeiramente modificada do Wing Chun tradicional do Mestre Yip Man. Os interessados podem recorrer aos vídeos do Taky Kimura, um dos primeiros instrutores formados por Bruce, cujo estilo de combate é bastante semelhante ao Wing Chun. À medida que os estudos sobre o movimento humano, a então incipiente biomecânica, e o contato com diferentes artes marciais e lutadores foram avançando, Bruce intensificou a aplicação de princípios e técnicas do Boxe ocidental dentro do seu repertório. Dois dos principais representantes dessa segunda fase do JKD são os famosos Dan Inosanto e Richard Bustillo.

No entanto, foram nos anos que antecederam a morte prematura do grande Sijo Bruce Lee que o Jeet Kune Do ganhou a sua linha mestra, que faz do JKD uma arte completamente diferente das demais, tanto do ponto de vista técnico quanto tático. Nesses anos, Bruce intensificou o desenvolvimento e a aplicação dos princípios de biomecânica do movimento, que possibilitavam extrair do indivíduo o máximo de potência e eficiência, empregando da forma mais lógica e mecanicamente eficiente, as técnicas do JKD. Nessa última fase do desenvolvimento do JKD, encontram-se fortemente os conceitos e técnicas de interceptação e as táticas de combate que fazem o JKD ser tão característico. O que Bruce fez foi trazer ao combate de mãos limpas a eficiência e a velocidade da Esgrima Ocidental. Surgia, então, a chamada era do Jeet Kune Do de Chinatown. Um dos grandes representantes dessa era foi o Sifu Ted Wong. A movimentação e a aplicação técnica do Sifu Wong é o que existe de mais puro em termos de eficiência de combate dentro do Jeet Kune Do. Os interessados podem consultar os livros lançados à partir dos anos 2000 pelos professores Tim Tackett e Teri Tom. Tackett é fundador, juntamente com Jim Sewell e  Bob Bremer (ex alunos de Bruce Lee) da Wednesday Night Group, grupo que ensina e divulga o repertório técnico / tático do chamado Jeet Kune Do Original (ou JKD de Chinatown). Teri Tom, por outro lado, é uma instrutora formada pelo Sifu Wong, e possui uma das obras mais importantes da história do JKD, o livro The Straight Lead: The Core of Bruce Lee’s Jun Fan Jeet Kune Do.

Em tempo, o JKD Brasileiro passou pelas mesmas transformações que o JKD passou ao longo dos seus anos de evolução. Tudo começa com o trabalho separado de dois professores de Artes Marciais: Alexander Terra e Adriano Dutra. O primeiro é o fundador da Escola Shien Tao de Minas Gerais, e o segundo o fundador da Associação Dragões da Liberdade, do Espírito Santo. Ambos começaram a estudar o JKD ao final da década de 1980. Eram peritos em outras artes marciais, e se interessaram pelo JKD, muito influenciados pelo mito do ator Bruce Lee. À medida que o estudo desses professores foram avançando, tanto do ponto de vista das técnicas e suas execuções, quanto do ponto de vista da filosofia e das estratégias de combate, seus repertórios foram evoluindo. A importação de livros, vídeo-cassetes (e posteriormente DVD’s), além da dedicação cotidiana à análise dos movimentos, foi contribuindo para que o JKD trabalhado por Alexander e Adriano, evoluíssem da fase de Wing Chun modificado para a fase do Boxe modificado. Cada um em sua respectiva academia, com seus grupos próprios, foram levando o JKD adiante. Um número de instrutores foi sendo formado, e alguns continuaram treinando e se aprimorando, como é o caso do Ricardo Aguiar e Uriatan Dutra. Por volta do ano de 2002 ou 2003, a Escola Shien Tao e a Associação Dragões da Liberdade se aproximaram. Durante alguns anos, essa aproximação gerou uma troca de conhecimentos que possibilitou a evolução de ambos os grupos. O estudo do Jeet Kune Do Original se intensificou, e o que anteriormente eram duas escolas se transformou na Associação Brasileira de Jeet Kune Do (ABJKD), em meados de 2006.

Com o início da ABJKD, começaram os encontros nacionais, realizados intercaladamente em Minas Gerais e no Espírito Santo. Esses encontros facilitaram a troca de experiências e técnicas entre os grupos. Novos instrutores foram formados, e o grupo se fortalecia. Por volta de 2007, o repertório técnico e tático, além da visão filosófica sobre o Jeet Kune Do, começou a ficar fortemente alinhado com o que se praticava na chamada “era de Chinatown”. No final do ano de 2008 e início de 2009, a ABJKD deu o seu primeiro passo em direção à sua internacionalização. Foi nesse período que os primeiros contatos com a Wednesday Night Group, então liderada por Tim Tackett e Bob Bremer, foram realizados pelo instrutor Hudson Golino. Com o início dessa parceria, veio também um alinhamento técnico. O Jeet Kune Do praticado na ABJKD deixou definitivamente as versões iniciais do JKD de Bruce Lee, para entrar profundamente no Jeet Kune Do Original. Essa evolução se deve ao esforço coletivo dos instrutores e alunos da ABJKD com o desenvolvimento das técnicas e das estratégias do JKD de Chinatown, sempre sustentado pelo estudo continuo dos materiais disponíveis, principalmente os livros e DVDs que tinham surgido na primeira metade dos anos 2000. Nos anos subsequentes, os Professores Alexander Terra, Adriano Dutra e o Instrutor Pedro Alves, aprofundaram o contato com os grupos de ex-alunos de Bruce Lee nos Estados Unidos. Essas experiências culminaram com o reconhecimento da ABJKD, em nome dos Professores Alexander e Adriano, como uma das poucas representantes da Wednesday Night Group fora dos Estados Unidos, sendo a única na América Latina.

É importante salientar que o a evolução técnica do Jeet Kune Do praticado pela ABJKD se deu ao longo de vários anos de dedicação. Essa evolução continua a ocorrer e sempre continuará, pois está sedimentada no centro do JKD de Bruce Lee. Em cada fase do Jeet Kune Do Brasileiro, há um número de alunos e instrutores formados. Hoje há em exercício contínuo de evolução, dez professores e instrutores. Os que foram formados diretamente pelo Professor Alexander Terra, em ordem decrescente de tempo de treinamento, são: Ricardo Aguiar (BH), Uriatan Benevides Dutra (BH), Hudson Golino (Vitória da Conquista, Bahia), Pedro Alves (Guaxupé, MG), Jaime Nóbrega (Alfenas, MG) e Vinicius Munhoz (Alfenas, MG). Os que foram formados diretamente pelo Professor Adriano Dutra são: Marcelo Pereira, Fabrício Ferreira e Gustavo Morandi (Vitória, ES). Vários outros instrutores foram formados ao longo do tempo, ou pela ABJKD, ou pelas escolas Shien Tao e Associação Dragões da Liberdade. Cada um ajudou no processo de evolução do JKD praticado no Brasil, assim como os instrutores formados por Bruce Lee auxiliaram no desenvolvimento do JKD. Cada período possui uma característica específica. E o nosso período atual, e dos professores e instrutores que continuam no processo de evolução e de dedicação ao JKD, é reconhecidamente de nível internacional! Os membros da ABJKD buscam apenas uma coisa: a evolução constante de suas técnicas e táticas de combate. O foco é tentar sempre ser melhor amanhã do que somos hoje! Como diria o grande mestre Bruce Lee: no Jeet Kune Do treina-se para ser fluido como a água, rápido como o vento e, quando necessário, implacável como o fogo!
 

 Hudson Golino